Molas automotivas: o que são e quais os tipos?

Home » Molas » Molas automotivas: o que são e quais os tipos?

Existe uma grande quantidade de itens e peças que são essenciais para o funcionamento de um carro, porém não são muito conhecidos pelas pessoas. Um exemplo claro disso são as molas automotivas, peças fundamentais para que várias partes do automóvel possam atuar regularmente. Além de serem importantes, as molas automotivas também são específicas, pois cada tipo dispõe de uma função especial na composição final.

Dessa forma, é possível afirmar que as molas automotivas são dispositivos essenciais para a parte de suspensão do veículo. Vale destacar que é a suspensão a parte responsável por trazer mais estabilidade e também manter o carro em uma altura ideal, além de receber os devidos impactos da roda com as estradas, ruas e rodovias. Com isso, a mola automotiva atua como principal componente da suspensão do carro, pois é ela quem dispõe do movimento de contração e distensão, propriedade muito relevante para evitar com que esforços além do permitido, acabem danificando a suspensão.

Quais são os tipos de molas automotivas?

Em relação às molas direcionadas ao uso em carro, existem três tipos. A primeira a ser apresentada é a mola helicoidal. Seu nome é devido ao seu enrolamento ser realizado em formato de hélice. Ela é composta por aço temperado e faz parte da categoria de mola de torção, sendo uma das mais usadas atualmente. Uma característica muito importante desse tipo de mola é que ela permite maior flexibilidade em relação ao movimento de suspensão. Os carros mais modernos fazem uso desse tipo de mola na suspensão.

As molas de flexão, largamente aplicadas em veículos de grande porte e pesados, são desenvolvidas a partir de feixe de lâminas de aço. Algo que se destaca neste tipo de mola é que ela é a mais rígida dentre as molas automotivas. Com isso, também são as mais resistentes e aquelas que oferecem menor conforto no movimento de suspensão.

Por fim, o último tipo de mola automotiva é a mola de torção. São as mais utilizadas em veículos de passeio, por exemplo. Ela tem o formato circular, sendo que sua ligação se dá entre a estrutura do carro e o braço da suspensão. É o tipo de mola mais pesada e também dispõe de uma maior vida útil.

Qual o momento certo de realizar a troca?

Fazer a troca da mola da suspensão pode ser uma tarefa obrigatória caso essa peça apresente problemas. Apesar de não exigir manutenção, quando essa peça começa a apresentar defeitos a única saída é realmente a troca. Problemas como retração, algo que afeta diretamente a altura do carro, é um sinal de que a mola precisa ser trocada. Além disso, outros sinais mostram que está na hora de trocar as molas:

  • Desgaste fora do normal de peças ligadas aos amortecedores, pneus e batentes;
  • Balanço constante entre acelerações e freios;
  • Tremores ao passar por uma lombada;
  • Ruídos na parte dos amortecedores;
  • Ferrugem nas molas.

Portanto, é possível concluir que as molas automotivas desempenham função extremamente importante para os automóveis. Sem elas não seria possível fazer o sistema de suspensão funcionar perfeitamente. Além disso, é preciso estar atento aos problemas envolvendo essa peça e suas consequências para uma experiência segura ao volante.

Companhia Brasileira de Ferro e Aço (CBFA)

A CBFA é uma referência no mercado de aço e ferro, pois desenvolve os melhores equipamentos com esses materiais para a cadeia de produção das mais diversas indústrias e siderúrgicas do país. Dentre as especializações da empresa está a fabricação de molas com altos padrões de qualidade e com certificações nacional e internacionalmente.

Clique aqui e conheça o site da CBFA além de conferir todos os serviços prestados pela empresa.

Últimas postagens

Categorias

Gostou do nosso post? Compartilhe em suas redes sociais!

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Telegram
Email
Print

×

Carrinho